quarta-feira, abril 20, 2005

 

CFAAA

“A comunidade havia de ter sucesso, mesmo que fracassasse”. Susan Sontag

Tínhamos quinze ou dezasseis anos e um desprezo grande pelas duas hipóteses que nos ofereciam para ocupar as noites: a casa (com sua letargia televisiva e familiar) e os bares e discotecas ribatejanos (maus todos os dias). Restava-nos o passeio, primeiro, uma cozinha velha perdida no quintal dos meus avós, depois, para teorizar fundo sobre o significado da vida.

Éramos um grupo restrito de cinco rapazes e vivíamos cúmplices da mesma COMUNIDADE FILOSÓFICA ARTISTICA E AFINS DE ALMEIRIM. Já passaram alguns anos sobre o nascimento e queda do CFAAA. Onde estamos nós agora? Que é feito das nossas noites com as estrelas por cima, primeiro, em frente a uma pequena lareira, depois?

Um abraço aos meus amigos. Tenho saudades de quando éramos todos ingénuos ao mesmo tempo. Eu estou aqui. Tenho borbulhas que cheguem para, pelo menos, ter vontade de marcar uma reunião (com acta) para debater a melhor forma de pronunciar Nietzsche, o pagamento de cotas, a possibilidade de aceitar miúdas giras na comunidade, chegar a casa às seis da manhã sem que os pais dêem por isso…

Comments:
Nessa altura ocupava as minhas noites em bares e discotecas ribatejanas e gostava. Grande parte da minha adolescência noctívaga foi passada nesses locais que continuam a ser muito marcantes a nível pessoal. Sendo assim, repudio qualquer um que diga mal dos bares e discotecas ribatejanas, mesmo que essa pessoa seja o meu irmão.
Hoje em dia ainda frequento esses sítios, mas de quando em vez - de 2 em 2 meses aproximadamente - vou ao lux.
 
Olá! venho convidar-te a passar pelo

www.defesadopublico.blogspot.com

Está a decorrer uma petição na tentativa de se chegar a um acordo no sentido da não construção do edifício por trás da Casa da Música.

Um abraço!
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?