quinta-feira, maio 19, 2005

 

Contributo para o rabbit’s blog

Excerto de O Nariz, de Gógol. Tradução de Nina e Filipe Guerra.

Entrou um oficial da polícia, de boa aparência, de suíças nem loiras nem escuras, bochechas bem arredondadas, aquele mesmo que no início da narrativa se postava à entrada da ponte de Santo Isaac.
- Foi o senhor que perdeu o nariz?
- Exactamente.
- Não me diga! – gritou o major Kovaliov. A alegria fê-lo perder a fala. Devorava com os olhos o chefe de esquadra, em cujos lábios e bochechas rechonchudas dançava a luz clara e trémula da vela.
- Como conseguiram?
- Numa circunstância estranha: foi apanhado quase em fuga. Já estava sentado na diligência que ia para Riga. Era portador de um passaporte em nome de um funcionário É curioso que, a princípio, eu próprio o tomei por um cavalheiro. Felizmente, levava os óculos comigo e vi logo que não passava de um nariz.


Um abraço, rapaz.

Comments:
Eu preciso ler esse livro. Me empresta?
Sabe se tem e-book?

Abs.
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?