sábado, maio 21, 2005

 

A máquina

a máquina fabrica dentro de si
um desejo largo na estrutura do corpo
o corpo olha uma perna com a língua
uma perna de mulher-máquina alheia à saliva
que é produto e chão do desejo.
o homem-máquina é um organismo sem corpo
mas o sexo levanta-se numa assiduidade ancestral
a máquina na flor da mulher
tem um cheiro que é apenas lúbrico
como lúbrica é a canícula
um cheiro que alimenta a industria
do corpo derrubando o corpo.

Comments:
gostei muito.

simões
 
Enviar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?